Cursos técnicos são excelentes escolhas para inserção no mercado de trabalho

O aluno deve escolher sua escola observando sua autorização e a validade do diploma para registro profissional.
11/07/2018


Os cursos técnicos são opções mais acessíveis financeiramente para capacitação profissional e podem agilizar a colocação no mercado de trabalho. A procura pela modalidade vem crescendo nos últimos anos e permite que o profissional formado tenha seu credenciamento em um conselho de classe, garantindo sua autorização para exercer seu trabalho.
O CEP/UME, unidade mantida pela Fundec, já possui tradição na oferta desses cursos. Segundo a diretora do CEP/UME Julia Portari, a formação técnica busca capacitar o aluno a executar tarefas que exijam conhecimentos teóricos mais avançados e é indicada para quem deseja ter um currículo que abrange grandes áreas de atuação.
Para que um curso técnico seja válido, precisa ser homologado pela Diretoria de Ensino Regional (Secretaria Estadual de Educação), ter a carga horária mínima de 1.200 horas (variando para mais, dependendo do curso) e fornecer ao aluno um diploma que lhe permita fazer seu registro profissional. Os registros profissionais autorizam a atuação no mercado de trabalho de forma regularizada. Por exemplo, Técnicos em Enfermagem fazem seu registro no COREN (Conselho Regional de Enfermagem); Técnicos em Edificações fazem seu registro profissional no CREA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura); entre outros.
A diretora Julia Portari destacou que “é necessário que se observem todas essas normas quando se matricular em um curso para atuar como profissional regulamentado”.
“Em tempos de desemprego, escolher um curso que proporcione acesso mais rápido a uma vaga faz toda a diferença. Um caminho para agilizar essa ponte entre a escola e o mercado de trabalho pode ser o curso técnico”, destacou a diretora. Julia Portari ainda ressaltou que hoje são realizados muitos concursos que exigem nível técnico na escolaridade. “Técnicos em Enfermagem, em Radiologia, Segurança do Trabalho e Edificações são muito procurados por empresas e instituições públicas”, finalizou.

Técnico em Estética

A nova lei, aprovada pelo Senado neste ano, regulamenta a profissão de esteticista nos níveis superior e técnico, exigindo diploma para atuação. O técnico passa agora a ter a obrigatoriedade do curso Técnico em Estética oferecido no Brasil ou no exterior, desde que tenha a revalidação do diploma. O curso Técnico em Estética oferecido pelo CEP/UME já se enquadra na nova lei, formando um profissional capacitado e autorizado para atuar na área da estética.
O curso possui a duração de 18 meses, com a carga horária de 1.200 horas (exigida por lei para garantir ao aluno formado o registro no órgão competente). Dotado de docentes com experiência profissional na área, os alunos terão acesso à vivência de situações reais de trabalho, que privilegiam a formação de um profissional de acordo com as exigências do mercado.
O Técnico em Estética poderá atuar em espaço próprio ou de terceiros e em domicílio, institutos de estética e beleza, clínicas médicas, hotéis, spas, academias e demais serviços de saúde e bem-estar.
A profissão é reconhecida pela Lei nº 12.592, de 18 de janeiro de 2012.

As matrículas para o curso Técnico em Estética estão abertas e podem ser feitas na Secretaria Geral da Fundec (Rua Bahia, 332 – Dracena/SP). Mais informações: (18) 3821-9004. O início das aulas será no dia 23 de julho.


Compartilhe


(18)3821-9000

(18)3821-9004

OUVIDORIA